Goiás alcança marca de 1 milhão de notas fiscais emitidas em um dia

 

 

 

No dia 5 de Agosto, o comércio goiano emitiu mais de 1 milhão de Notas Fiscais do Consumidor Eletrônicas (NFCe), alcançando um número recorde de emissões no estado.

Em um único dia foram emitidas em Goiás a quantidade de 1 milhão e 25 mil notas fiscais do consumidor eletrônicas, o que demonstra o sucesso do projeto NFCe e também confirma a necessidade de que os sistemas de emissão tenham capacidade para processar dezenas de notas por segundo. Só em Goiás 12.300 empresas já emitem NFCe, e a tendência é de que esse número aumente ainda mais.

Desde Julho a emissão da NFCe é obrigatória para todos os contribuintes do estado pertencentes ao regime normal de tributação. Para contribuintes do simples ainda há prazo para adequação.

 

Desburocratização do mercado

Muitas empresas já estão aderindo a NFCe de forma espontânea devido às diversas vantagens que ele oferece. O projeto é mais rápido, simples e menos burocrático.

“Há redução de custos, maior agilidade ao varejista, além de maior segurança, tanto para ele quanto para o consumidor e a Sefaz” afirma Leonardo Meneses, Gerente de Informações Econômicos-Fiscais da Sefaz.

No projeto NFCe as operações com mercadorias são simplificadas e os dados enviados automaticamente para a Sefaz. Dessa forma há melhorias também para o consumidor, que agora pode consultar os dados da nota diretamente no site da Sefaz.

 

Cronograma de adequação NFCe

Até Janeiro de 2018 todo o comércio varejista deve estar emitindo Notas Fiscais Eletrônicas do Consumidor. Confira os prazos:

  • Julho de 2017: todos os contribuintes, exceto os do Simples Nacional;
  • Dezembro de 2017: fim da transição, prazo final em que contribuintes autorizados podem emitir os dois tipos de documentos (NFCe e Cupom Fiscal);
  • Janeiro de 2018: todos os estabelecimentos varejistas são obrigados a emitir o documento.

Contribuintes que não são obrigados a emitir NFCe: Microempreendedor Individual, produtor agropecuário, extrator mineral ou fóssil, ambulante, feirante, transporte de passageiros, operação com controle especial, operações com a administração pública, operações de concessionárias de serviços públicos, operações interestaduais e operações de comércio exterior.

 

Adiantar-se é importante

Toda mudança exige um tempo para adaptação, então não deixe para aderir ao projeto na última hora. Empresas que já emitem a NFe tem o credenciamento automático na Sefaz para a emissão de NFCe. É necessário apenas ajustar o sistema. Mas caso sua empresa não emita NFe, é necessário fazer o credenciamento no site da Secretaria da Fazenda.

 

 

Fonte: OBJ